Road trip em Portugal com meus pais – Parte II

Então vamos a segunda parte da viagem. Até porque a aventura de verdade aconteceu no segundo dia da nossa viagem.

Como contei no primeiro post – se você ainda não leu a parte I, clique aqui – decidimos dormir em Coimbra. Nosso destino final seria a Serra da Estrela, apesar de ser março, quase Primavera, tinha tido uma nevasca no final de semana anterior. Portanto, era uma boa chance de ver a Serra branquinha, como ela deve ser.

Read More

Anúncios

Road trip com meus pais – parte I

Sim, já faz um tempo. Na verdade, já tem tempo suficiente para eu desejar todos estes dias de novo. Mas, já que estou voltando com o blog, não poderia deixar de falar da vinda dos meus pais para Portugal. Afinal, ‘antes tarde do que nunca’.

Desde que vim para cá, em 2014, já imaginava o quão incrível seria receber meus pais. E, em março de 2016 isso finalmente aconteceu. Só quem fica longe sabe qual é a ansiedade de saber que daqui uns dias você vai encontrar seus pais no aeroporto. É bom demais!

Read More

Road Trip: De carro desde Portugal até a França

Prepare-se, pois este post vai ser longo.

Um pouco antes da chegada do verão, eu e Dudu começamos a pensar nas mil possibilidades para este período. A medida que íamos pesquisando, o desanimo aumentava, junto com os preços das passagens, dos hostels e tudo mais. Porém, o Jo estava por vir, no início de Agosto e a gente ia viajar.

Marrocos, Croácia, Leste Europeu e muitos outros destinos vieram em mente, mas os ajustes ao orçamento eram necessários. Com pouco dinheiro no bolso, mas muita vontade de viajar, decidimos fazer uma viagem de carro. Logo que o Jo chegou, começamos a pensar nas possíveis rotas. Assim, decidimos chegar até Bordeaux, na França, para conhecer as prais próximas a cidade.

Road Trip - Summer 15 - Jsalomao (2)

Leia ouvindo qualquer música do Calvin Harris, David Guetta e afins…


Partimos. Eu assumi o volante, e a ida não foi fácil. Foram 970 Km com apenas duas paradas, saímos de Braga às 13h e chegamos lá a meia noite. Cruzamos Portugal e Espanha, em apenas um dia. Foi puxado, mas assim que entrei na cidade vi que tinha valido a pena. Bordeaux é linda, charmosa e animada, pelo menos estava. Chegamos em casa, que alugamos no Airbnb e nos arrumamos para dar uma volta e comer algo. Frustração máxima! Neste meio tempo, todos os lugares fecharam, e na única porta que encontrei aberta, perguntei se eles sabiam um lugar onde eu pudesse comer. Ele respondeu que esta hora já estava tudo fechado. Mais uma vez perguntei, “Nem um MC Donald’s, lanchonete ou algo 24 horas” e ele delicadamente disse: “C’est la France”. Aceitamos e voltamos para casa, fizemos um macarrão e cama.

A ideia para o dia seguinte era praia…mas não contávamos com os 16ºC e o tempo nublado. Tudo bem! Fomos explorar a cidade. Que cidade linda! Tive a impressão de estar numa mini paris, charmosa, mais barata e ideal para explorar de bicicleta, que foi o que fizemos. Passamos o dia todo rodando de bike e terminamos o dia num pique-nique à beira do Rio, que aliás parece ser o programa oficial dos habitantes. Foi delicioso, a cidade estava muito animada, muitas pessoas curtindo a Garrone, que é o nome do rio e da região à beira. Demos uma volta ainda pelo centro à noite, fomos a um barzinho com minha amiga Mari, que mora por lá e nos mostrou mais um cado da cidade.

Roadtrip - Summer15 - (4)

A Place de la Bourse é o ponto central de Bordeaux


Roadtrip - Summer15 - (3)

Roadtrip - Summer15 - (10)

A basílica de Saint-Michel é simplesmente absurda

Roadtrip - Summer15 - (13)

Descabelado, mas feliz!

Roadtrip - Summer15 - (14)

Bike é a melhor opção para a cidade

Roadtrip - Summer15 - (15)

A Place de la Bourse de outro ângulo

Roadtrip - Summer15 - (17)

Bikes, bikes, bikes ❤

Roadtrip - Summer15 - (18)

A Rue Saint-Catherine é a maior rua para pedestres da Europa

Roadtrip - Summer15 - (19)

Esta escultura próxima a Opéra é fantástica

Roadtrip - Summer15 - (21)

Este trem é ouotra opção de transporte que atende a cidade toda

Roadtrip - Summer15 - (23)

A fonte da Quinconces é uma das mais bonitas que já vi na vida






Roadtrip - Summer15 - (24)

O dia seguinte amanheceu novamente nublado e decidimos zarpar…

O destino foi San Sebastián, um balneário chique da Espanha, inserido no País Basco. Por sinal, eu nem sabia direito o que é o País Basco, ou Euskal Herria, na língua local. Mas, é uma região culturalmente autônoma da Espanha, que há anos luta por independência, assim como como a Cataluña. O idioma falado lá é o Basco, que não se parece em nada, com nada. Mas, todos falam castelhano, sem problemas. Ainda assim, é muito interessante ver uma cidade com placas, anúncios, sinais tão diferentes da nossa. A cidade é linda, praiana e cara. Os preços são muito mais parecidos com os de Paris, do que com os praticados no restante da Espanha. Para piorar estava frio e chovendo. Tudo bem, fomos conhecer San Sebastián na boa. A orla e o centro histórico são lindos, e eu que estava desanimado de ir até lá, por causa do preço, fiquei muito feliz de ter ido.

Roadtrip - Summer15 - (26)

A foz do rio Urumea em San Sebastián

Roadtrip - Summer15 - (28)

O hotel Maria Cristina é um dos must-see da cidade

Road Trip - Summer 15 - Jsalomao (3)

Playa de la Concha

Road Trip - Summer 15 - Jsalomao (1)

As charmosas ruas do centro da cidade

Road Trip - Summer 15 - Jsalomao (4)

O antigo cassino da cidade, hoje em dia é a Prefeitura.




A ideia era partir de lá para Bilbao, a capital do país Basco, mas simplesmente não conseguimos encontrar acomodação que coubesse no nosso orçamento. Mais uma nota mental sobre o verão… Ficamos o dia todo tentando encontrar algo, e a medida que foi anoitecendo, e não tínhamos onde ficar, começamos a abrir o horizonte. Ah, antes que você pergunte, “porque você não ficou em San Sebastián”, eu lhe digo. O único hostel disponível estava cobrando 110 euros, num quarto com quatro pessoas, apenas. Pesquisa vai, pesquisa vem, resolvemos arriscar e reservamos uma hospedagem rural, numa vila à 50 km de Bilbao, numa vila chama Barrón, ainda no País Basco.

MEU DEUS! Que experiência! A hospedagem era no meio do nada, no caminho para lá não vimos uma viva alma, apenas de um veado cruzando a estrada. Cheguei a ficar com medo sobre onde eu estava indo. Chegamos lá, a senhora dona do local nos recebeu com toda simpatia, mesmo dizendo que nenhuma reserva constava para ela. Logo na chega as constatações, sem Wi-Fi e nada de rede telefônica. E agora? Rsrs! E aí que foi incrível, ficamos na varanda da casa, estava bem frio, tomando vinho, vendo o céu estrelado e filosofando sobre a vida, com a certeza de que nunca esqueceríamos aquele dia.

Roadtrip - Summer15 - (33)

A hospedagem rural onde passamos a noite

Roadtrip - Summer15 - (34)

Barrón

Roadtrip - Summer15 - (35)

A igreja abandona da vila

Roadtrip - Summer15 - (36)

Uma vibe Minas Gerais no meio da Espanha

Acordamos, demos uma volta pelas cinco casas e uma igreja abandonada da vila, ganhamos um pacote de nozes da dona e partimos. Completamente estarrecidos com a experiência. Abortamos a ideia de ir até Bilbao e seguimos para León, na região de Castilla y León, na Espanha. Esta cidade, pequena e charmosa, faz parte da rota de Santiago de Compostela. As grandes atrações são a Catedral e Casa Botines, uma das únicas construções de Gaudí fora da região da Cataluña.

Depois de um delicioso almoço e passeio, rumamos de volta a Portugal, ainda faltavam mais de 300km, mas depois de mais de 1000 e tantos, isso parecia pouco. Chegamos no fim do dia, ainda há tempo de lanchar. Exaustos, destruídos, mas felizes até a tampa.

Roadtrip - Summer15 - (37)

O centrinho de León

Roadtrip - Summer15 - (38)

A suntuosa Catedral de Léon

Roadtrip - Summer15 - (39)

Roadtrip - Summer15 - (1)

A casa Botines de Antoni Gaudí

Obrigado por ler o post todo.

Abraços,

Juan Salomão

B.Concept Store: Uma loja para esquecer das horas

Se tem uma coisa que eu gosto é de descobrir lugares novos. Sabe quando você passa por um lugar, repara na vitrine e pensa: “nunca entrei aqui”… é tão bom, né?

Foi assim com a B.Concept Store, em Braga, que já tinha passado em frente algumas vezes, mas acabei indo apenas ontem. A loja fica dentro de uma construção de mais de dois séculos de existência e foi explorado de uma maneira fantástica. A primeira loja conceito de Braga reúne marcas, ou melhor, parceiros que apostam em “corners” super bacanas. Lá dentro, todos os públicos são privilegiados, pois há marcas de moda masculina, feminina, óculos, decoração, artistas plásticos e comidinhas. Por sinal o café de lá é lindo, chama-se Ao Pé da Sé e é uma delícia de lindo.

As marcas RQ by Rachel, Chiado Factory, Chick’Piu e Nizza foram as que me chamaram mais atenção, sem falar é claro no Mercadinho do Feijão.

Jardim da loja B.Concept Store em braga

O jardim da B.Concept Store

 

Paredes da B.Concpet Store em Braga

Parede da loja B.Concept em Braga

E esta parede maravilhosa?

 

Loja B.Concept em Braga

Um cantinho dedicado para nós ❤

 

B.Concept store em braga

Bconcept  store em braga

Adorei as estampas da Chick’Piu

B.Concept Store Braga

Todos os cantos da loja são pensados com muito cuidado 🙂



Loja Bconcept em Braga

Bconcept store braga

O Mercadinho do Feijão

loja bconcept braga

Feijãozinho por quilo #oldiscool

bconcept braga

B.Concept store braga

We ❤ details!

B.Concept Braga

Os tênis super coloridos da RC by Rachel

B.Concept Braga

apenas ❤

B.concept Braga

Um bom lugar, pra relaxar…


Incrível o espaço, não é?! Para quem quiser conhecer a B.Concept Store fica na Rua São João , apoucos metros da Sé.

Munchie BK Guimarães – um hambúrguer pra comer rezando!

Atenção! Este post contém glúten.

Quem me conhece pessoalmente sabe das minhas restrições com o danado do glúten, porém, de vez em quando, eu me disponho a comer e aceitar as consequências. Se vale a pena? Na hora sim, depois não sei. Mas, sabe quando bate aquela vontade de comer algo diferente, uma gordice boa que preenche a alma…rsrs!

Então eu sempre fico “namorando” lugares ou prato em que, um dia eu vá abrir a exceção, e tento criar uma justificativa para ir. Ontem foi uma destas dias, depois de alguns dias trabalhando num projeto artístico para o mestrado, que exigiu muito esforço mental e físico, eu decidi ir a um novo espaço que abriu aqui em Guimarães.

O Munchie BK é uma hamburgueria daquele jeito que a gente gosta, bonita, super bem decorada, com preços justos e um cardápio que deixa até o mais decidido com dúvidas. O restaurante oferecer menus de almoço e da noite, e foi este que escolhi, 4,90 euros – Hambúrguer maravilhoso com cheddar, batatas portuguesas e refrigerante – uma ode ao paladar e a caloria! Sem falar na maionese de alho, maravilhosamente maravilhosa -como eu amo molhos (leia-se mÓlhos) –  não bastando tudo isso, o atendimento foi espetacular do início ao fim e ainda fui mimado com uma porção de nachos, quer coisa melhor?

Fachada do restaurante Munchie

Munchie BK – Guimarães

Fachada do Munchie

🙂

This is not fast food

Não mesmo!

Coisa linda!

Coisa linda!

Hambúrguer do dia no Munchi

90g de picanha, cheddar, cebola frita, alface, tomate e maionese de alho ❤

Bom, então se você está ou vem ao Porto ou Guimarães, e quiser dar um break na comida portuguesa tradicional, comer um hambúrguer maravilhoso, eu mais do que indico o Munchie BK. Ah, e pode me convidar que eu penso em abrir uma exceção!

7 motivos para amar em Portugal

Há poucos dias completei seis meses no lado de cá do Atlântico, eu sei que ainda é pouco tempo, mas uma mudança, principalmente de país, gera emoções e experiências são muito fortes. A cada dia descubro coisas novas sobre Portugal, de uma palavra a um lugar, e vou gostando cada vez mais deste país. É óbvio que nem tudo são flores, tem os dias difíceis, que a gente se sente mais pra baixo, tem as diferenças culturais, a saudade da família, dos amigos, mas o post de hoje é pra valorizar a Terrinha e te deixar com vontade de vir me visitar. Então vamos a primeira lista das coisas que amo por aqui ❤

1) É igual, mas diferente…

Começa pelo idioma que é o mesmo, só que não, por aqui se fala português, e nós falamos brasileiro, sim, isso pode parecer estranho, mas é impressionante como nos distanciamos da língua original, o que não é melhor, nem pior, é só diferente. Das construções das frases as expressões, tudo é diferente, o que início faz a gente repetir a nossa expressão mais comum de quando não entendemos algo “Oi?”. A paisagem, em muitos momentos também lembra, principalmente o interior de Minas, as áreas rurais, as casinhas, mas também é igual só que diferente. Assim como alguns pratos da culinária, os doces, as novelas…Ou seja, tem muita coisa parecida, que nos dá um sentimento de familiaridade, mas no fundo é tudo muito diferente. O que é ótimo para novos conhecimentos, experiências e coisa e tal, mas sem tomar aquele choque de quem vai pra Rússia, por exemplo.

Braga vista do Santuário de Bom Jesus do Monte

Braga vista de cima, tem uma coisa de Minas, né?!

2) As distâncias

Para nós, brasileiros, três horas de viagem é coisa rápida, um bate e volta, por aqui é a distância entre Porto e Lisboa, entre o Norte e Sul. Ou seja, dá pra explorar o país e conhecer muita coisa diferente, com quatro horas de viagem se vai da praia a neve (Sim, tem neve em portugal, na Serra da Estrela). Então, considere seriamente Portugal como sua próxima viagem.

Por do sol na Foz do Douro

Uma foto do pôs do sol para representar poeticamente as distâncias, rs!

3) Lisboa-Porto

Sabe nosso bairrismo Rio-São Paulo, a disputa entre calor e frio, praia e cidade e sotaques bem diferentes. Pois é, por aqui também é assim, enquanto Lisboa é solar, iluminada, o Porto é mais escuro, mais antigo (e mais charmoso, olha o bairrismo!). O Porto se esconde em vielas, sobrados, e se revela nas pontes maravilhosas que cortam o Rio Douro. Lisboa é ampla, assim como o Tejo, mais agitada e também muito linda. Lá no Sul o sotaque é mais brando, para nós é mais simplesmente de entender, aqui no Norte é mais forte, mais “bruto” e ouve-se mais palavrões também, rsrs!
Na minha opinião. pra quem vem, as duas cidades são paradas obrigatórias, um jeito de conhecer o estilo do Sul e o do Norte, que apesar da distância, variam muito.

Uma das muitas vielas do Porto com a Sé ao fundo

Uma das muitas vielas do Porto com a Sé ao fundo

Margem do Rio Tejo na praça do comércio em Lisboa

Um dia de sol e o Tejo do tamanho do mar em Lisboa ❤

4) O vinho

Seja um bom Alentejano, do Douro, tinto, branco ou verde, o vinho português é sempre uma boa pedida. Bom, bonito e barato, no caso bonito não se encaixa, mas por aqui nada melhor para acompanhar uma refeição do que uma boa taça de vinho. Ah, e claro, o indiscutível Vinho do Porto.

Taça de vinho Casal Garcia

5) A comida

Pode sentar, ajoelha, chorar e rezar porque a comida portuguesa merece. Esqueça a bacalhoada da sua avó, porque aquilo é batata com peixe, o que não falta por aqui são variações do bacalhau que pode ser frito, assado, cozido, com batata, no arroz, gratinado, no pão…eita, que eu quase morro.Além disso, é muito comum por aqui os restaurantes servirem o menu do dia, que por um valor fixo ( normalmente entre 5 e 10 euros) você tem direito a uma sopa de entrada com pão, m prato principal, sobremesa, café uma bebida, ou seja, é o paraíso.

Os pratos principais são os mais variados tipos de bacalhau, a alheira (um embutido com carne de caça e farinha, que é a melhor coisa do mundo), arroz de pato, polvo grelhado, lula recheada, sardinha e uma infinidade de gordices maravilhosas.

Prato típico de portugal

A francesinha, bem leve e bem saudável!

Agora, a melhor coisa que já comi aqui até hoje é a Francesinha. Um sanduíche típico do Norte, feito com um pão de forma alto, carne, presunto,gratinado com queijo, batatas fritas e coberto por um molho indescritível. Claro que é tipo um tijolo, aquilo é o equivalente a sair da dieta por dez dias, mas oh, vale cada caloria.

6) O café e os doces

Falando em calorias, vamos ao lugar preferido dos portugueses: Os cafés. Por lá, encontra-se almoço, lanche, jantar, chá, cerveja e claro, café e doce.

A pastelaria portuguesa, ou seja, a doceria daqui é uma loucura, eu ainda não consegui provar tudo, porque se não já dava pra rolar pro Brasil, mas pra quem é fã dos doces das padarias brasileiros, assim como eu, fica complicado. Tudo é delicioso, tudo leva ovo e creme amarelo, salpicado de açúcar e muito amor. O docinho é sempre acompanhado de um café, que não é pros fracos, o cafézinho daqui é forte, e um expresso é apenas meia xícara daquelas pequenininhas, um verdadeiro shot. Se você não gosta tão forte, é só pedir ele cheio, que aí enche-se a xícara inteira, mas ainda assim é muito forte, e no caso, eu adoro!

vitrine de doces

Desculpem pela foto, mas nunca dá tempo de tirar a foto antes de comer.

7) Os preços

Como disse, morei quase quatro anos no Rio, e nada me assustava mais do que os preços, sair pra almoçar no mínimo R$40,00, um drink R$15, um fim de semana simples já era uma grana. No entanto, por aqui é o oposto, não conheço muitos países, mas sem dúvida, aqui é o mais barato dos que já fui, mesmo convertendo, o que não faço mais porque se não a gente pira, mas é serio, aqui você volta a usar moedinhas, a gastar centavos, ou cêntimos como se diz por aqui, gastar uma nota de 20 é algo que você pensa duas vezes, porque com esse dinheiro dá pra comer, beber e passear!

Porto

Vem gente!

Já falei demais por hoje, mas espero que vocês tenham curtido e ficado com vontade de vir me ver!

Se você já veio a Portugal, me conta o que você mais amou!

beijos,

Juan Salomão